jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2019

Trabalhador gay é obrigado a buscar a cura evangélica. É certo isso?

Violação à intimidade e à liberdade de crença: aplicação da teoria da eficácia horizontal dos direitos fundamentais.

Andreia Fernandes Coura, Advogado
há 3 anos

Trabalhador gay obrigado a buscar a cura evanglica certo isso

Foi noticiado recentemente que um trabalhador gay, promotor de eventos, estava sendo obrigado a participar de cultos evangélicos com o empregador, a título de conseguir a cura da sua orientação sexual, diversa da heterossexual; em virtude de sua recusa, foi demitido e tratado como pessoa "inconstante", "sem caráter" e "ladrão". Acionada a Justiça do Trabalho, a empresa foi condenada a pagar indenização ( Fonte )

Vivemos no Estado Democrático de Direito; e como afirmou a Ministra Carmem Lúcia, do STF, no seu voto no julgamento da ADI 4277 e ADFP 132, cujo tema era o reconhecimento da união estável homoafetiva:

"Aqueles que fazem opção pela união homoafetiva não pode ser desigualado em sua cidadania. Ninguém pode ser tido como cidadão de segunda classe porque, como ser humano, não aquiesceu em adotar modelo de vida não coerente com o que a maioria tenha como certo ou válido ou legítimo"

Portanto, aquelas pessoas de orientação sexual diversa da heterossexual são titulares de todos os direitos enunciados pela ordem jurídica, sobretudo, dos direitos fundamentais, entre os quais o direito à inviolabilidade da intimidade e vida privada (art. , X, CF) e à liberdade de consciência e de crença (art. , VI, CF).

Esses direitos são denominados direitos individuais porque exercidos contra o Poder Público.

A pergunta que se coloca é: o homem, enquanto trabalhador, ou seja, na relação empregatícia, pode exigir do empregador a observância desses direitos? Não tem o empregador o poder diretivo, que inclui o poder normativo, fiscalizador e disciplinar?

A Constituição Federal de 88 adotou a teoria teoria da Eficácia Imediata dos Direitos Fundamentais nas Relações Privadas ou da Eficácia Horizontal dos Direitos Fundamentais.

Segundo essa teoria, os direitos fundamentais não vinculam apenas os poderes públicos, mas têm incidência imediata nas relações de direito privado, especialmente quando configurem relações de poder.

O STF já se posicionou no sentido da adoção dessa teoria no nosso direito pátrio:

“SOCIEDADE CIVIL SEM FINS LUCRATIVOS. UNIÃO BRASILEIRA DE COMPOSITORES. EXCLUSÃO DE SÓCIO SEM GARANTIA DA AMPLA DEFESA E DO CONTRADITÓRIO. EFICÁCIA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS NAS RELAÇÕES PRIVADAS. RECURSO DESPROVIDO.

I – EFICÁCIA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS NAS RELAÇÕES PRIVADAS. As violações a direitos fundamentais não ocorrem somente no âmbito das relações entre o cidadão e o Estado, mas igualmente nas relações travadas entre pessoas físicas e jurídicas de direito privado. Assim, os direitos fundamentais assegurados pela Constituição vinculam diretamente não apenas os poderes públicos, estando direcionados também á proteção dos particulares em face dos poderes privados.

II – OS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS COMO LIMITES Á AUTONOMIA PRIVADA DAS ASSOCIAÇÕES. A ordem jurídico-constitucional brasileira não conferiu a qualquer associação civil a possibilidade de agir à revelia dos princípios inscritos nas leis e, em especial, dos postulados que têm por fundamento direto o próprio texto da Constituição da República, notadamente em tema de proteção às liberdades e garantias fundamentais. O espaço de autonomia privada garantido pela Constituição às associações não está imune à incidência dos princípios constitucionais que asseguram o respeito aos direitos fundamentais de seus associados. A autonomia privada que encontra claras limitações de ordem jurídica, não pode ser exercida em detrimento ou com desrespeito aos direitos e garantis de terceiros, especialmente aqueles positivados em sede constitucional, pois a autonomia da vontade não confere aos particulares, no domínio de sua incidência, e atuação, o poder de transgredir ou de ignorar as restrições postas e definidas pela própria Constituição, cuja eficácia e força normativa também se impões, aos particulares, no âmbito de suas relações privadas, em tema de liberdades fundamentais.

III – SOCIEDADE CIVIL SEM FINS LUCRATIVOS. ENTIDADE QUE INTEGRA ESPAÇO PÚBLICO, AINDA QUE NÃO-ESTATAL. ATIVIDADE DE CARÁTER PÚBLICO. EXCLUSÃO DE SÓCIO SEM GARANTIA DO DEVIDO PROCESSO LEGAL. APLICAÇÃO DIRETA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS À AMPLA DEFESA E AO CONTRADITÓRIO. As associações privadas que exercem função predominante em determinado âmbito econômico e/ou social, mantendo seus associados em relação de dependência econômica e/ou social, integram o que se pode denominar de espaço público, ainda que não estatal. A União Brasileira de Compositores – UBC, sociedade civil sem fins lucrativos, integra a estrutura do ECAD e, portanto, assume posição privilegiada para determinar a extensão do gozo e fruição dos direitos autorais de seus associados. A exclusão de sócio do quadro social da UBC, sem qualquer garantia de ampla defesa, do contraditório ou do devido processo constitucional, onera consideravelmente o recorrido, o qual fica impossibilitado de perceber os direitos autorais relativos à execução de suas obras. A vedação das garantias constitucionais do devido processo legal acaba por restringir a própria liberdade de exercício profissional do sócio. O caráter público da atividade exercida pela sociedade e a dependência do vínculo associativo para o exercício profissional de seus sócios legitimam, no caso concreto, a aplicação direta dos direitos fundamentais concernentes ao devido processo legal, ao contraditório e à ampla defesa (art. 5o, LIV e LV, CF/88)

IV – RECURSO EXTRAORDINÁRIO DESPROVIDO” (RE 201819, Rel. Para acórdão Min. Gilmar Mendes, DJ 27.10.2006, p. 64)

Nesse diapasão, o direito à liberdade de crença e à inviolabilidade da intimidade e vida privada aplicam-se imediatamente, sem necessidade da mediação do legislador infraconstitucional, nas relações de trabalho, sendo certo que a intromissão do empregador na vida privada, intimidade e na crença do empregado, é inconstitucional e impõe o reconhecimento do abuso do poder de direção e da inconstitucionalidade do seu ato.

Como o empregador não pode atingir os direitos fundamentais do trabalhador, não pode fazê-lo com o trabalhador de orientação sexual diversa da heterossexual, caraterizando o ato descrito na notícia como ofensa também à vedação constitucional de discriminação.

Cabível, portanto, indenização com o objetivo de compensar o dano ao empregado e assumindo também o caráter pedagógico, educativo, em relação ao empregador.

180 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Infelizmente, a justiça teve de explicar ao empregador o absolutamente óbvio: ninguém deve interferir na orientação sexual do próximo, nem esta deve servir de pretexto para cerceamento de direitos ou qualquer outra "redução de cidadania".

Só faço uma ressalva ao texto da decisão judicial: orientação sexual não é "opção", e sim característica nata do indivíduo. É possível levar uma vida sexualmente incompatível com a orientação sexual (um homo viver como hetero ou vice-versa), mas isto não muda a natureza da pessoa.

De resto, a decisão é absolutamente correta ao garantir a igualdade de direitos e ao punir um ato escancaradamente discriminatório do empregador. continuar lendo

Será que não foi o jovem homo sexual que induziu o patrão a leva -lo a igreja com o intuito de ir fazendo prova para no futuro faturar uma grana extra. Quanto mais notícias como essa não pode os patrões terem medo de contratar gays ? continuar lendo

Emerson, concordo com você. Infelizmente a orientação sexual é tratada por muitos como sendo uma opção, e portanto passível de mudança...e por outros como doença e por isso passível de "cura". Muitos religiosos e não religiosos apregoam isso sem nenhum conhecimento científico.
Se a homossexualidade fosse melhor compreendida saberiam todos que é uma característica nata e portanto não cabe tentativas de "cura".
Só quando isso for realmente compreendido, casos lamentáveis como esse deixarão de acontecer. Mas pra isso a ignorância tem que ser vencida através da informação e conhecimento. continuar lendo

Fico pensando se o Dilto não está certo.

O cara era promotor de eventos? Acredito que ele deveria em não somente em eventos evangélicos, mas em outros também.

Acho que hoje em dia as pessoas procuram formas de ganhar dinheiro, não sei se é este o caso, mas a maioria pelo menos é. continuar lendo

Com certeza obrigado este individuo não foi, pois ta parecendo mais uma forma de expor o empregador do que dizer que foi obrigado... Porque se não quer ir a um lugar pq foi? pq na hora da contratação tinha isso em regra pra este funcionario ficar? continuar lendo

Caro nobre, vc tem razão mas só foi infeliz em alegar que 'a característica é nata do indivíduo!' Pois saiba q isto nem a ciência contemporânea e avançada deste mundo desequilibrado conseguiu descobrir essa 'característica' o qual vc afirma com tanta certeza! continuar lendo

Prezados, somente para esclarecer, informo que a homosexualidade é um comportamento adquirido. A condição nata de qualquer ser humano, ou animal, é a de heterossexual. O que garante a sobrevivência da espécie. continuar lendo

Olá, Ricardo,
Qualquer homossexual, quando fala de assumir sua condição, fala em "descoberta", e não em "transformação". Os sinais de homoafetividade aparecem nos indivíduos muito antes da própria sexualidade ou até do interesse por relações afetivas. Fora que atravessou milênios, e são observados em inúmeras espécies, com todas as variações culturais possíveis. Ainda que seja uma área ainda em estudo, é notável que os fatores ambientais não são predominantes na determinação da sexualidade.
Aliás, se sexualidade fosse opção, praticamente ninguém optaria pela que mais sofre preconceito, ainda hoje em dia. continuar lendo

Douglas,
Não é por aí. São raríssimos os fatores ambientais realmente impactantes na determinação da sexualidade do indivíduo. E é notório que indivíduos de diversas sexualidades, muitas vezes, estão expostos a ambientes idênticos. Há muito mais estudos indicando o contrário - caracterísitca inata - do que algo adquirido em algum momento da vida.
A sobrevivência da espécie e a determinação heterossexual no nascimento não têm qualquer relação causal. Além disso, a existência de homossexuais nunca foi um risco para a perpetuação de qualquer espécie. continuar lendo

1º opção de sexualidade não é Natureza da pessoa.
2º ninguém é obrigado, e nem mesmo uma lei por mais que esteja em pauta pode obrigar alguém aceitar uma pessoa homo. Eles entram onde forem aceitos.

Pois a tal opção de sexualidade não é da natureza humana, isso é decisão da pessoa.
Não é um tipo de raça, pois não há como gerar crias entre dois homens ou duas mulheres.

Se a Lei quer fazer Legitimidade nesse assunto, logo mais deve ser obrigada também a aceitar o viciado em drogas ou bebidas sem que este indivíduo tenha qualquer tratamento.
Porque tanto um como o outro estão no mesmo nível. Tudo não passa de um vício individual da pessoa. continuar lendo

Aldo, algumas correções:
1.Sexualidade não é opção, conforme já suficientemente exposto.
2.Todas as sexualidades são da natureza do indivíduo (não só da pessoa, pois há centenas ou milhares de espécies que apresentam sexualidades variadas). Ninguém "inventou" a homossexualidade, nem a "transmitiu" para outros animais. É obra exclusiva da natureza.
3.Aceitar o diferente é obrigação por algo ainda acima da lei: humanidade. Não tem cabimento algum rejeitar o próximo por qualquer característica física ou psicológica. Mesmo que não haja lei obrigando a isto, não é aceitável exigirmos que o outro atenda a requisitos pessoais nossos.
4.Nunca se defendeu que sexualidade fosse raça. Muito pelo contrário: é óbvio que a sexualidade não altera a raça.
5.A comparação entre homossexualidade e vício é absurda e preconceituosa. Você julga como errado e/ou nocivo uma característica de outro indivíduo somente porque não te agrada. Creio que está na hora de repensar. Repetindo o item 3 acima, não acho certo você exigir que outros indivíduos cumpram seus requisitos.
6.Viciados em drogas também devem ser aceitas numa boa. Vício em drogas é uma doença. Qual o cabimento de rejeitarmos pessoas por portarem uma doença? Apenas, é óbvio, não deve ser permitido que pratiquem atividades que exijam bom estado mental (como dirigir ou trabalhar) sob efeito de qualquer droga. continuar lendo

kkkkkkkkk Emerson...
claro que é opção da pessoa.
pois quando Deus criou o homem não o criou nesse pensamento, e nem mesmo a mulher, no entanto, até no caso feminino, também é opção, pois se opinarem por serem normais com certeza serão normais. Porém, quando torna-se vício nunca mais conseguem se afastar. Um viciado em drogas também é assim.
eu trabalho com centro de recuperação, e tenho visto que os que mudam são somente os que estão iniciando, porém, os que já o fazem à pelo menos mais de seis meses não conseguem largar a vida errante, pode ser que se afastem por um certo período, mas sem perceber já estão praticando novamente.
Pelo visto, tem pessoa que estudam pra ficarem cada dia mais "burras" pois não se nota inteligência ou sabedoria nessas palavras usadas por pessoas que se dizem ser estudadas, ainda mais quando falam que é "orientação sexual" numa coisa que é a própria pessoa que escolheu ser.
ou por outro lado, vamos ter que aceitar na sociedade os que praticam "estupro" também como "orientação sexual" o que também na verdade é uma opção que a pessoa faz na vida.
quanto a natureza, como é que você diz que não muda? pois a natureza masculina não é viver com outro homem e sim com mulher. então, onde está tua inteligência? onde está o tanto estudo que você fez pra falar que um efeminado não está com a natureza alterada?

Quanto a sua resposta para o Douglas, eu te afirmo bem claramente que, é sim uma ameaça para a raça humana, pois, se todos os homens se tornarem efeminados e as mulheres mudarem seu curso natural, onde e como se dará continuidade à humanidade? Não mais haverá geração humana futura e...
... puft, acabou-se tudo. todo mundo deixa de existir. Viu? Sem haver a conjunção exata para que haja fecundação, não haverá geração de humanos. Volta a estudar desde o início e você vai poder entender.

e com certeza, o que não provem da natureza, tudo que tem sua natureza alterada "é uma abominação".

obrigado pela atenção

e procure ler mais a Bíblia.
té mais... continuar lendo

Lamentável Doutora que o seu "artigo" sobre um possível fato homofóbico não esteja acompanhada de uma fonte que possa assegurar esta informação.

Não que não seja possível acontecer no diaadia, mas, acredito que artigos como este alimentam uma falsa concepção religiosa que tenta imputar os "ativistas gays", de que os cristãos os odeia.

Há, sim, um preconceito formado contra os cristão que têm suas opiniões religiosas sobre este ou aquele comportamento.

Certo é que NENHUM verdadeiro cristão teria atitude semelhante a esta por Vossa Excelência apresentada.

Esta NÃO é a conduta de um verdadeiro cristão. O fato de discordar da prática homossexual não habilita ninguém a maus tratos.

Artigos como estes mostram-se falácia.

Aliás! Por que a Dra. "anexou" uma foto da bandeira do movimento gay?

Lamentável que artigos preconceituosos como estes sejam divulgados sem critério nenhum por este respeitável meio de divulgação que é o jusBrasil. lamentável. continuar lendo

A afirmação "Esta NÃO é a conduta de um verdadeiro cristão." é uma grande falácia e, sinceramente, nunca me senti discriminado por ser cristão. Caso ainda não tenha encontrado a fonte, segue: http://www.conjur.com.br/2016-abr-23/trabalhador-gay-forcado-buscar-cura-evangelica-recebera-25-mil continuar lendo

Cara, basta olhar no google.

Veja:
http://www.conjur.com.br/2016-abr-23/trabalhador-gay-forcado-buscar-cura-evangelica-recebera-25-mil

Quanto mimimi... Se o alguém abusou, deve receber a punição, seja cristão ou não. Lamentável... continuar lendo

Boa tarde Sr Paulo.

Agradeço o comentário. Esclareço, contudo, que a fonte está no artigo, no final da primeira frase, onde se lê (fonte). Basta clicar sobre a palavra que abrirá a página.

Atenciosamente continuar lendo

Eu já ia citar a fonte, mas notei que alguns colegas já se prontificaram eficientemente.
Os fatos neste artigo foram narrados conforme ocorreram. Se o empregador é ou não um verdadeiro cristão essa é uma questão filosófica discutível entre você, "verdadeiro" cristão e ele. continuar lendo

Senhor Paulo,

Concordo que de fato há uma intolerância crescente contra os "evangélicos" e isso é negado por uns tanto quanto o racismo é negado por outros. continuar lendo

Algo me chamou atenção: a empresa não se defendeu no processo, levando a crê que alegação do reclamante é verdadeira. Por isso me faz surgir uma questão: se a empresa tivesse se defendido, será que o resultado seria o mesmo? continuar lendo

Boa tarde. Creio que há fundamento no seu comentário, no que tange a Cristo fobia, que deforma, maliciosa, está sendo usada, por um grupo de pessoas, que muitas vezes estão até bem intencionadas em combater o que seria uma descriminação, no caso em tela, descriminação trabalhista, que, supostamente, gerou indenização em função do ato; e sê, realmente os fatos ocorreram do jeito como narrado, justa seria a condenação. Pois, eu por ser evangélico, não tenho o direito de ir contra uma pessoa devido a sua opção sexual, pois, sendo a homossexualidade um ato eu posso não concordar ou ser a favor deste artigo , inciso IV e VI da nossa Constituição Federal. Ou seja, você não é obrigado a concordar com o Homossexualismo (ato sexual entre pessoas do mesmo sexo), más, é obrigado a respeitar o Homossexual (pessoa que tem preferência sexual por pessoas do mesmo sexo). Sou Pastor, Líder Comunitário e Advogado, toda via, tenho amigos que são Homossexuais, que sabem de minha posição quanto ao ato do homossexualismo, más, nos relacionamos muito bem enquanto pessoas, pois entre nós há um palavra fundamental para as relações humanas RESPEITO. ISTO NÃO QUER DIZER QUE SOU OBRIGADO A CONCORDAR COM VOCÊ, MÁS, AS DISCORDÂNCIAS, NÃO PODEM ULTRAPASSAR O CAMPO DAS IDÉIAS. continuar lendo

Sr. Paulo Barros: o jovem não disse que foi obrigado a ir tentar se curar de sua homossexualidade por "cristãos". Ele disse que foi levado para uma determinada religião. Uma só religião não representa todos os cristãos. Sabemos que há várias religiões cristãs que vêem o homossexualismo da forma correta, e não fazem tentativas de "cura" de algo incurável. Porém sabemos que a religião mencionada no artigo, vê sim o homossexualismo como algo passível de cura. E também não coloque todos os cristãos como pessoas que discordam do homossexualismo. Sou cristã e minha religião vê o homossexualismo como algo natural, uma característica de nascença apenas....apenas uma característica e jamais vamos tratar como uma coisa pecaminosa ou que precise de tratamento. Portanto não coloque todas as religiões cristãs no mesmo balaio. continuar lendo

Homofobia declarada - Em 2002 Bolsonaro começou a se colocar como principal opositor contra qualquer direito aos homossexuais. Esse foi o primeiro ataque violento, destaque para a frase: “NÃO VOU COMBATER NEM DISCRIMINAR, MAS SE EU VIR DOIS HOMENS SE BEIJANDO NA RUA, EU VOU BATER”. Se isso não é discurso de ódio e incitação à violência, não sei mais o que pode ser.

(Arquivo da FSP 19/05/2002)

Fora bolsonaro continuar lendo

Isso há 14 anos atrás, hoje ele abraça homossexuais e ainda possui amigos com essa opção sexual, como é o caso do Smith Hays, o homem que é odiado porque é gay e não é de esquerda. Há outro vídeo em que ele abraça e ainda é beijado pelo Amin Khader, gay famoso da televisão brasileira.

Antes do fora Bolsonaro seria importante fazer o fora PT e fora esquerda, já que apoiam ditadores que executaram e executam homossexuais apenas por sua opção sexual. continuar lendo

Eu me pergunto o por que o Bolsonaro depois de 14 anos mudou de posição ao ponto de beijar Gays na rua. Aos meus olhos o dito deputado representa uma parcela de nossa sociedade que perdeu o bonde da história, onde o diálogo só existe com quem tem pensamento igual ou pelo menos não afronte os conceitos pré-estabelecido.

O fora PT, deve vim acompanhado com o fora PMDB, PSDB, DEM, etc, a todos que não tenham uma postura adequada. Essa seletividade por conveniência, onde se aceita um Presidente da Câmara réu de processos por ele viabilizar a concretização de um processo politico, não leva o país a melhorar, apenas a trocar de mãos. continuar lendo

Abraça homossexuais, é? Onde?
Bolsonaro continua escroto após todos esses anos, execrado até por militares que até já se manifestaram sobre as escrotices dele. Esse cara envergonha o nome do Brasil mundo afora. Fora Bolsonaro, sim! continuar lendo

Concordo com você, quando afirma que este senhor as vezes, exagera em suas pronuncias. Más, gostaria que você fizesse também um comentário a respeito da atitude do Senhor Jean Wilhan nobre deputado que em rede mundial denegriu a imagem de nosso país, ao cuspir no rosto do seu colega de parlamento, dando a entender que esta seria uma conduta comum entre o nosso povo. continuar lendo

(Atos 17:30) “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, em todo lugar, que se arrependam.” (Atos 17:30)

Saí da casa de meus pais para viver com um rapaz, um “amigo“, morar com ele. Ali fiquei por quase cinco anos.

( Gênesis 2:24 ) “Portanto deixará o homem a seu pai e sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher e ambos serão uma só carne.” ( Gênesis 2:24 )

Não foi o que fiz. Deixei meus pais para viver com outro homem como se fosse com mulher. Simplesmente ignorei mais uma promessa de Deus para minha vida, porque dei crédito a uma mentira. Achando que havia nascido assim, que não tinha culpa, que morreria assim. Este era mais um dos infinitos relacionamentos homossexuais que viria a ter. Mas pela misericórdia de Deus para comigo, conheci sua verdade e fui colocado sobre uma rocha firme e segura. Jesus é fiel.
Posso atualmente compreender todo caminho que percorri até aqui e acertá-lo através da sua Palavra. Deus nos oferece ferramentas para acertar nossos caminhos, uma destas ferramentas é a própria ciência. As dificuldades não cessaram, mas tenho as verdades da Bíblia para poder lutar um bom combate e ter uma melhor qualidade de vida. Vivendo não como o mundo ensina, mas como ensina a Palavra de Deus. Sei que a infidelidade, o adultério, o pecado tem invadido os lares cristãos, e sei também que a vida na homossexualidade não estava acrescentando nada em meu ser.

( Salmo 40:2 ) “Tirou-me de um lago horrível de um charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha e firmou os meus passos.“ (Salmo 40:2) continuar lendo

Parabéns, Fernando Cláudio Silva!!!! Disse tudo e mais um pouco. continuar lendo

Paulo Barbosa, desculpe-me, mas acho que você está equivocado. Quem está dando péssimo exemplo de como o nosso País é, são os deputados que se comportaram de maneira grotesca na votação do impedimento da Presidente. Todos aqueles que tentaram agredir o outro em razão de sua posição na votação, obraram mal porque deram exemplo de que aqui é uma bagunça, inclusive o Bolsonaro que ironizou o voto do Jean. Aprendi uma coisa desde criança: não mexa com quem está quieto. continuar lendo

Para mim o Deputado Jean agiu incorretamente, não podemos justificar erros. Mas o grotesco foi atuação de 90% da Casa. Uma vergonha interna e externa, o nível do nosso parlamento é o mais rasteiro possível, 400 deputados inúteis, que são massa de manobra e ficou muito claro isso nessa votação, cada um querendo seus 10 segundos de fama nacional pelos motivos mais deploráveis.

Sou contrário a muita tese defendida pelo Deputado Jean, mas respeito suas opiniões.

Não há como respeitar os pensamentos do Deputado Bolsonaro, que usa a possível honestidade como justificativa para a imensidão de sandices que comete dentro e fora da Câmara dos Deputados e há quem o ache ele um verdadeiro ídolo.

Honestidade é obrigação, não qualidade a ser exaltada em um homem público, muito menos somente isso o habilita a Salvador da Pátria. continuar lendo

Pra começar ninguém opta por ser gay ou hétero, pois não existe opção. As pessoas são o que são! E ninguém deve ser diminuído na sua sexualidade ou por causa dela. Nada justifica a tal cura gay, porque ser gay não é doença!!! Somos muitas coisas, somos complexos. Quem quer tanto curar uma pessoa gay ou tem raiva/ ódio é porque não está em paz com sua própria sexualidade. Ademais, os direitos não brotam do chão, são conquistados com lutas diárias, pois a discriminação, ainda hoje é muito grande, infelizmente!! Esse empregador errou muito ao agir dessa forma, pois entrou no âmbito da vida privada do seu empregado, além de querer impôr uma condição. Ser gay não diminui ninguém, nem moralmente e nem como pessoa, pelo simples fato de que caráter não tdm nada a ver com sexualidade. Somos humanos, temos direitos, não importa a orientação sexual. Viva e deixe viver! continuar lendo

Se faz necessário saber com quem está a verdade. Por conhecer o mais profundo do interior do ser humano, Jesus Cristo nos deixou a Sua Palavra de sabedoria, em Mateus 7: Vs 1; "Não julgueis, para que não sejais julgados. Vs 2; Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós." continuar lendo